Quem fica responsável pela gestão da escala de plantão em hospitais e clínicas sabe que tem uma missão desafiadora em mãos. Mas alguns erros comuns podem tornar a tarefa ainda mais difícil. A seguir, veja sinais que podem indicar uma necessidade de reorganização no seu trabalho.

5 erros comuns na organização da escala de plantão

escala de plantão

1. Gasto excessivo de tempo em tarefas simples

O trabalho do gestor deve ser direcionado à supervisão e, quando há problemas, na sua resolução. Porém, na prática, o dia a dia desses profissionais pode ser cercado de pequenas tarefas e burocracias. Mas vale o alerta: gastar tempo demais nessas atividades tende a reduzir a produtividade e gerar desgaste, e toda a equipe pode sair prejudicada.

2. Dificuldade em calcular o pagamento

hospitais que oferecem um valor fixo aos seus plantonistas, justamente pela dificuldade em calcular o pagamento dos plantões. Mas, para os trabalhadores, receber pela quantidade de horas trabalhadas no mês pode ser mais vantajoso. A organização da escala e jornada de trabalho do plantão é o primeiro passo para eliminar conflitos referentes a bancos de horas e chegar a cálculos corretos de pagamentos.

3. Variedade muito grande de ferramentas

O combo planilhas no Excel, Google Agenda, e-mails e grupos no WhatsApp são comuns em uma escala de plantão desorganizada. Sem contar que em muitas instituições as escalas ainda são registradas em papel ou em lousa. Na prática, todos esses métodos podem ser bastante úteis, o problema é quando vários deles são utilizados ao mesmo tempo. Isso pode gerar incoerência nos registros, conflitos na comunicação entre os funcionários e, por consequência, atrapalhar o fluxo de trabalho.

4. Um funcionário não sabe o que o outro faz

A falta de transparência e comunicação entre as equipes costuma gerar conflitos no ambiente de trabalho. Entre os plantonistas, a tendência de problemas nesse sentido é ainda maior, especialmente quando a escala de plantão é desorganizada e não fica facilmente visível para todos. Agora, se há transparência, as trocas podem ser mais ágeis de um plantão para outro e os desgastes dos profissionais são evitados.

5. Processos trabalhistas

Uma empresa desorganizada pode ficar mais suscetível a ter processos trabalhistas. Queixas referentes a bancos de horas estão entre as mais recorrentes nesses casos, mas quando a lei é cumprida e há organização e transparência, todos têm a garantia de um trabalho justo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *